11 de março de 2009

Irresponsabilidades

O pior de trabalhar num jornal é ver desgraças todos os dias, que envolvem carros, mortos e tragédias. O pior de trabalhar num jornal da nossa cidade é ver desgraças, que envolvem carros, mortos e tragédias, nas estradas por onde temos de passar diariamente.

E ainda há pior. Ver asneiras constantes em estradas onde morreu gente, há meia-dúzia de horas.

Ontem, fui fazer um acidente brutal. O carro estava feito em batido. A mulher morreu. Aliás, seria milagre se tivesse sobrevivido. O conta-quilómetros marcava uma velocidade legal para aquela via, por isso não se deveu a excesso de velocidade. Hoje, voltei a passar pela mesma estrada e ia com o coração apertadinho de tanto medo. Morreu uma mulher, no mesmo sítio onde um idiota qualquer, esta manhã, se lembrou de fazer uma ultrapassagem apertadíssima.

Fico impressionada com a quantidade de asneiras que certas pessoas fazem na ânsia de puxar pelo carro. Quando saio e o meu pai diz "tem cuidado a conduzir", eu tenho. Mas tenho medo pelos outros, que podem vir contra mim, porque até me considero boa condutora.

Há pessoas mesmo sem noção, não há?

6 estrelinhas:

sessaoexperimental disse...

não podes te deixar afectar por esses acontecimentos babe...senão é o pânico :)

bjinhos ;)

Manuel disse...

epá... com essa tua profissão hás-de ver tanto... que um dia até escreverás um livro! (perdoa-me a ausência... eu já sentia saudades de cá vir)

beijoooo

Cristina disse...

Calvin, babe, dizem-me que faz parte dos ossos do ofício... compreendo, custa a todos a primeira vez. Mas o pior é que às vezes sinto-me fragilizada e não sei o que fazer para contrariar esse sentimento.

Manuel, já tenho pensado em ti, mas - e peço desculpa - não tive tempo para te enviar sequer um email. E no trabalho tenho tido graves problemas com o computador :S

Beijoooosss

Nitrox disse...

Não é só a conduzir, sou voluntário da protecção civil, ao longo dos anos já vi de tudo, inclusive chamarem-me irresponsável por dizer a um grupo - Não vão para aí, pois a duna pode ceder a qualquer momento e vocês são arrastados pelo mar.

Frutinha disse...

infelizmente há mesmo...

Sadeek disse...

Se fossemos a pensar assim nem sequer chegávamos a sair de casa Cristina. Andei muitos anos de mota. A fazer todos os dias estradas como a 2ªcircular. É absurdo o que se faz na estrada com um carro nas mãos mas não podemos ter medo...mesmo tendo, se calhar, motivos para isso.

Enfim...the show must go on, né?

BEIJOOOOOOOOO

 

(c)2009 Estrelices. Based in Wordpress by wpthemesfree Created by Templates for Blogger