6 de abril de 2009

Namoro vs outra coisa qualquer

Sempre fui um nadinha viciada em 'Dr. House'. Hoje, cheguei a tempo de ver um episódio da 2.ª temporada. Uma das personagens diz:

"Os casamentos falham, porque, durante o namoro, as pessoas fingem ser alguém que acham que o outro quer que sejam. Mas não se pode fingir para sempre."

Concordam? 

18 estrelinhas:

Rapariga do Batom Vermelho disse...

Nop.

:) *

sessaoexperimental disse...

hummmmm...........é uma das causas....existe muita gente assim.....aliás...vejo muitos casamentos que vão durando devido a um lado mais submisso...mas isso em gerações anteriores à nossa....

Hj em dia acho que isso já não se passa tanto assim....as pessoas são mais independentes....o que acontece é que os casorios falham pq alguém insistiu que o outro podesse mudar....
ahahha...ou então não e isto não passa de filosofia de cordel... :P

bjinho sua ranhosa que consegue ver o dr house a horas decentes :P

Speeder_76 disse...

É uma causa, não é "a" causa. Mas em muitos episódios, isso é verdade. Há muita gente que pensa que com o casamento, já não precisa mais de se esforçar para conquistar a amada. Enganam-se!

M disse...

Acho que depende das pessoas... Pessoalmente faço os possíveis por me mostrar logo como sou, exactamente por achar que com fingimentos não se vai a lado nenhum. Por outro lado, por muito que se tente, há coisas nossas que só mostramos (mesmo não querendo) após muito tempo de relação (amorosa ou não). E nisso é mesmo o factor tempo que joga, com ou sem casamento. Acima de tudo, o que faz mudar as pessoas é deixar de gostar.

NI disse...

No meu caso não deu tempo nem para disfarçar. É que conheci, namorei e casei em cinco meses. Há quase 22 anos, ahahahahahah

Beijo

Cristina disse...

Rapariga do Batom Vermelho, nop? Queres dizer mais?

Sessão, babe, acho que tens uma certa razão. Felizmente, vivemos numa época em que os casamentos assentes em mentiras começam a rarear, apesar de saber que existem. Quantas e quantas vezes não se houve... "se eu soubesse o que sei hoje!". (ranhosa, moi??? Doutora Ranhosa, por ser para ti)

Speeder,mas também acontece no namoro. Há pessoas que se desleixam, quando conquistam o 'prémio'.

M, e não achas que vivemos numa altura em que o tempo conta muito? Por um lado, quer-se levar as coisas com calma, por outro lado, há outros que têm calma a mais, e depois acabam-se relações porque não se tem paciência para suportar manias do outros, porque (imagine-se!!) não houve tempo para se conhecerem bem.

Beijos

SmS disse...

Huh...cm ainda n casei n te sei responder a isso

eheheh

Cristina disse...

Ni, hahhaha... és um caso em mil.
Mas agora a sério... vês alguma desvantagem nesse teu exemplo? Tens duas filhas completamente diferentes, mas amorosas. Tens um marido que, claramente, te adora.

O não ter tido tempo para "disfarçar", como disseste, foi um 'handicap' ou permitiu-te conhecer melhor o homem que tens há 22 anos ao teu lado?

Cristina disse...

SmS, mas já tiveste namoros... e como foi: mostraste o teu verdadeiro "eu" ou dizias "amém" a tudo só para o fazer feliz?

Djinn disse...

Não concordo :) Namorei 4 anos e estive casada mais 14 ao todo 18 anos de relação.
Nunca demonstrei no namoro nada que eu não seja de facto...
Agora namoro é um tipo de relação e casamento outra. Partilhar 24 h da sua vida com outra pessoa, ter filhos, percorrer um mesmo caminho com outra pessoa é diferente de um namoro, são estádios de uma relação diferentes.
O que acontece é que independentemente do tempo que dure um namoro, quando um casal se junta ou casa, a relação muda...não muda logo, mas vai mudando e dando a conhecer facetas de cada uma das pessoas que não se revelaram no namoro, porque pura e simplesmente não houve oportunidade de serem vividas.
Não acho que as pessoas quando namoram sejam diferentes, o tipo de relação é que é.

Sadeek disse...

Não só por isso. Mas concordo em absoluto que as pessoas, não sei porque motivo, tentam-se aproximar de um ideal da outra metade....por vezes subvertendo a sua própria identidade....o resultado, obviamente, não pode ser bom... ;)

BEIJOOOOOOOOOO

P.S.- Dasse....mas o House não dava às 3ª?!?!

NI disse...

Cristina, penso que o amor é um sentimento que vai crescendo ao longo dos anos, à medida que vamos apreendendo o outro. (o inverso também é verdadeiro, isto é, à medida que vamos conhecendo o outro, o amor pode desaparecer). É que o conhecimento é um processo evolutivo. Não é estático...

Acho que o segredo é não pretender mudar o outro ou a nós próprios. O importante é encontrar os pontos comuns que nos permita encaixar na perfeição.

Sou completamente diferente da minha cara-metade. Nunca o tentei mudar nem ele a mim. Não perdemos a nossa individualidade.

Mas, a verdade, é que todos os dias aprendo a conhecer o meu marido apesar de saber qual a sua reacção e a sua postura na maioria das situações.

Beijos

SmS disse...

Nina.-..so tive 1 namorado...e n fingi em nada

:)

mik@ disse...

não :)
eu senti-me tão bem por ser eu própria ao lado da minha pessoa especial, fingir para quê? ou bem que gosta assim, ou não gosta. e há pequenas coisas que se podem sempre mudar para melhor :) mas continuamos a ser nós mesmos

M disse...

Time is overrated. Mas sim, a questão de tempo é importante, sobretudo quando o nosso e o do mundo não é o mesmo.

Frutinha disse...

bonita frase sim senhora. E acho que existe muita gente assim...

SunGod disse...

posso mandar a laracha? entao à lá ver:
a frase pode ter o seu sentido, sim senhor, especialmente tendo em conta os tempos em que vivemos onde todos tentam ser ou seguir modelos daquilo que acham "correcto"... da minha parte sempre agi e pretendo agir de acordo com os meus ideais e ideias, e sempre fiel a uma máxima que cada vez mais me acompanha: quem não gosta faça como as ervilhas, coloque na borda do prato. Se por vezes temos tendência a modificar alguns comportamentos? claro que sim, quer sejam homens ou mulheres, até porque faz parte do processo irem-se conhecendo, e colocar imediatamente as cartas na mesa poder ser tanto mau como bom, especialmente se mentirem, e ,pelo menos, se a relação acabar sempre se conta como experiência de vida e como reflexão para não voltar a cometer os mesmos "erros".
Ou seja, é perfeitamente natural e normal que o casal seja de uma maneira durante o namoro e outra já no casamento, mas isso digo eu que nunca casei e, se os deuses ajudarem, não faço muito conta disso :P

jubilee disse...

Não acredito que seja fingir... mas às vezes tenta-se embelezar tudo e mais alguma coisa!

 

(c)2009 Estrelices. Based in Wordpress by wpthemesfree Created by Templates for Blogger