10 de julho de 2008

Acho que...

... há muito boa gente vítima de uma qualquer sub-espécie de sentimento kafkiano.

E mais não digo.

18 estrelinhas:

Sadeek disse...

O Kafka era paneleiro, pá!
Quem tem medo...compra um cão...AHAH

Manuel disse...

Realmente... desistir, não. Ao menos tem que se experimentar um bocadinho... :P

beijoo

Maryposa disse...

neste momento..EU!

O pensador disse...

Um sentimento Kaf do quê?????

Djinn disse...

Que queres minha amiga, há pessoas que têm «alergia» a compromissos...
O casamento é só um tipo de compromisso.

Um dia um amigo disse-me:

«só é livre quem se compromete»

Cristina disse...

Sadeek, começo a desconfiar que tens um qualquer ressabiamento. Já viste que são todos paneleiros, pá?! LOL

Manuel, quem não experimenta, não sabe! :)

Mary, pois... eu estou no limbo :)

Pensador, kaf-coiso... ;)

Djinn, já me conheceste. E temos algumas linhas de pensamento que vão ao mesmo encontro... como disse à Maryposa: estou no limbo. Estou naquela fase que não sei o que seria melhor: ter - ou não - um compromisso!

Beijoooossss

Djinn disse...

Minha amiga...tal como na vertente profissional, a vida acontece.
Quando menos se espera ele está lá...o compromisso é algo que surge naturalmente numa qualquer relação, mas para isso é preciso que os elos dessa relação sejam de facto fortes, e para durar...ainda mais fortes...

Beijinhos

Requiem disse...

Casamento: A arte de fazer infeliz uma mulher quando se podem fazer tantas felizes...

Digo eu que tenho este feitiozinho... ;)

Speeder_76 disse...

Vamos a ver... a nossa sociedade de hoje em dia é tremendamente individualista. O que deseja hoje é outros comprometimentos: ao trabalho, ao prazer, a outros... para esta sociedade, casar é "careta".


Lendo o artigo sobre o Kafka, digo isto: ele tinha-se habituado a um certo estilo de vida, e também tinha um medo do futuro. Mas, tendo ele uma mente a roçar a esquizofrenia e o absurdo, esperava-se algo assim.


Quanto a mim... já foi mais hostil à coisa, porque vi, pelos meus próprios olhos, a coisa que faz um casamento a um bom amigo. Afastamo-nos por ele e a mulher não tolerarem um amigo "solteiro" como visita habitual de casa.


Agora, se me perguntarem se era capaz de casar? Sim, claro. Mas para mim não é uma obssessão nenhuma. Até pode ser uma simples cerimónia civil, como aconteceu aos meus pais. O que me interessa numa relação é confiança, ajuda mútua e amizade, conquistadas um dia de cada vez. Ou vocês julgam que o casamento por si é o que vos faz felizes? Ah não!

Maryposa disse...

djinn, para isso é preciso que exista uma relação... coisa a que começo a ficar alérgica!

Mas é tudo por culpa deles!!!

mik@ disse...

ola :)
hum 2005... isso explica porque é que é que não nos cruzámos. eu terminei em 2007 e também só agora tou a conseguir fazer qualquer coisa. mas este patrão é uma autêntica besta que não entende nada de nada. grrrr
bjos

mik@ disse...

hum casar... pra mim não é um papel que manda nos sentimentos. casar para 2 ou 3 anos depois estar divorciado, mais vale estar quieta. hoje em dia nada dura para sempre :)
bjinhos

Sadeek disse...

Todos Cris, são todos. Menos os gajos feios. Esses não são. De resto, gajos jeitosos e filósofos são todos rotos....HAHAHA

BEIJOOOOOOOOOOOOO

mtheman disse...

estas mulheres andam muito complicadas...

aqui vai mais uma explicação grátis (aproveitem que tou a ver que tenho de começar a cobrar):

compromisso não implica casamento... mas não vale a pena casamento sem compromisso...

um compromisso sem casamento não tem que ser menos forte que um casamento com compromisso...

Djinn disse...

Uma coisa vos digo, conheço muita gente que não está casada de papel passado, muito mais feliz que aqueles que estão, simplesmente porque para mim «casamento» não é uma cerimónia e um documento, para mim é o assumir o compromisso de uma relação monogâmica com outra pessoa.

Falo neste termos porque já fui casada com tudo o que tinha direito, mas sei que nada faria sentido se de facto não existisse um projecto de vida, que é isso que para mim é o casamento...
É a partilha de uma vida e de um projecto que poderá ser vivido de várias formas...

Mas cada um a sua opinião...e as suas experiências...

NI disse...

Mtheman tens razão quando dizes que as mulheres andam complicadas. É resultado de terem que aturar os homens.

Ah, já agora (não é que isto seja importante), concordo contigo, quanto ao compromisso, ehehehehehe.

Speeder_76 disse...

Concordo plenamente com a Djinn. Há muita gente feliz sem papel assinado...

Cristina disse...

Epahhh... hoje estou um bocado cansada de computadores para responder a um-por-um.

Considerem-se todos incluídos na resposta.

Não sou casada. Estou numa fase em que gostava de encontrar alguém e assentar de vez. Se isso implicasse o casamento, seja. Mas não faço questão. Não entendam isso como medo da "instituição casamento" (citando o texto). Respeito-a muito! E é claro que se pode ser feliz na mesma sem um contrato assinado. Mas isso pensamos nós... agora. Há uns anos as coisas eram diferentes. Completamente diferentes. Temos de ver as coisas com um certo distanciamento. Agora... casar de ânimo leve e pensar logo nos papéis do divórcio - para mim não servia! Ou casava com plena consciência daquilo que estava a fazer ou então não vale a pena. Não podemos tomar como exemplo os casais divorciados, nem as relações de aparência!

E tenho dito...

 

(c)2009 Estrelices. Based in Wordpress by wpthemesfree Created by Templates for Blogger