30 de outubro de 2008

Foi uma vontade

Hoje, deu-me uma enorme vontade de voltar ao 'Portugal dos Pequenitos'... não sei porquê. Acho que foi no autocarro. Uma mulher queixava-se da vida que levava. Dei por mim, a olhar para a criança que ela tinha ao lado, e que, enquanto ela se queixava, ele pedia docemente por um rebuçado. Tinha o narizito sujo e ela nem se deu conta, de tal forma que estava embrenhada na sua missão de se queixar da vida. 

Ou talvez tenha sido reflexo da semana. Uma semana em que, todos os dias, uma criança romena ia pedir esmola no local onde costumo almoçar. Já não a consigo olhar sequer. Sinto um misto de repulsa e de pena. Porque é sempre a mesma miúda, porque sei que o dinheiro é para bolos, porque sei que faz caretas aos clientes do self-service e porque representa um universo de miséria. 

Ou talvez seja ainda reflexo de quando assisti a uma cigana a abanar o filho como se ele fosse uma centrifugadora. O bebé, na alcofa, chorava desalmadamente... só consegui pensar "se ele fosse meu filho...". Apeteceu-me tirar-lhe aquele filho que chorava, talvez por frio, talvez por fome, talvez porque tinha a fralda suja... imensos 'talvez' vêm-me agora à mente.

Hoje, deu-me uma enorme vontade de voltar ao 'Portugal dos Pequenitos'... não sei porquê.

15 estrelinhas:

Cor do Sol disse...

Eu faço sempre essas "avaliações" e fico sempre triste, sempre revoltada, sempre num misto de sensações. E tenho muitas vezes vontade de voltar a ser pequena a ter apenas a "preocupação" de ser criança.

No entanto, é bom termos essas vontades...sermos nós, sermos sensiveis, sermos humanas.

Beijinho

Sadeek disse...

Semana complicada... :S

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOO

mik@ disse...

:SSSSS
nem me fales nessas coisas. fico cheiinha de pena das pessoas...
bjos

Haloa disse...

Devo dar a mão a palmatória e concordar com cor do sol.
Aloha

O pensador disse...

Talvez porque desse modo consegues imaginar que voltas a ser uma criança, sentindo aqueles portões a fecharem-se por detrás de ti, deixando-te liberta no teu mundo de fantasia, imune a preocupações e totalmente protegida da realidade perversa dos adultos...

Ana disse...

Eu faco por todos os meios andar la nesse Portugal dos pequeninos...e claro que ter dois filhos ajuda, mas faco o ate com os 'grandes'!!!
Os 'talvez' hao-de existir sempre hoje com essas criancas amanha com a senhora ate com posses que trata os filhos como adultos nao aproveitando o bom que eles lhe transmitem e pior roubando lhes a preciosa infancia...

Tinta Permanente disse...

É uma situação preocupante... mesmo com apoios sociais, os desfavorecidos não deixam de pedir.
E estás muito ternurenta ! Será o relógio biológico? lol
Beijinhos, bom fim-de-semana

Cristina disse...

Cor, às vezes, quando me olho ao espelho, desejo ardentemente ver a miúda de cabelos aos caracóis e cara gorducha que tinha quando era criança.

Sadeek, emocionalmente esgotante! Mas não complicada!

Mik@, já nem sei se sinto pena ou não. Acho que é indiferença aquilo que sinto.

haloa, antes de mais, bem-vinda. Também concordo, concordo com ela, se bem que ela é suspeita no que a crianças diz respeito.

Pensador, a única vez que lá estive era, efectivamente, criança. E a minha preocupação era entrar em todas as casas, antes da minha mãe dizer "meninos, está na hora de irmos embora!". Cresci. Preocupações diferentes.

Ana, o que me dói é que são miúdos. Daqui por uns anos, o que vai ser deles?

Tinta, o relógio biológico desperta todos os meses 'naquela' altura. Estes mais necessitados, nem sequer se dão ao trabalho de pedir apoios. Responderam a um dos meus colegas "pedir para quê? Eles não dão".

Beijoooosss a todos

Nanda Nascimento disse...

Vim fazer uma rápida visita e te desejar um excelente final de semana!

Beijos e flores!

Maria Manuela disse...

Eu nesses casos se me pedem para comer, não dou dinheiro, sento as pessoas à mesa e dou-lhe de comer.


Há tempos, pediram-me isso e eu neguei. Em contrapartida ofereci uma sopa, uma sandes de carne e um sumo. E comeram ali regajados !!!

NI disse...

Eu, de facto, actuo como a Manuela.

Não dou dinheiro a crianças.

Ofereço-lhes qualquer coisa para comer. Umas aceitam, outras não. Mas irei manter esta minha postura até ao fim. Dar dinheiro para eles irem entrear a "chulos", isso não.

Nota - Espero nunca perder a minha faceta de criança.

:-)

Manuel disse...

Andas com desejos de ser mãe, cá para mim.... :P

tou a brincar!

mas sim... falando a sério... a vida Às vezes parece-nos tão injusta!!

bolas, pá!

beijinhooo

Sadeek disse...

Cris...e não é o "emocionalmente esgotante" pior ainda que o "fisicamente esgotante"?!?!

BEIJOOOOOOOOO

Cristina disse...

Nanda, antes de mais: bem-vinda. Obrigada pela simpatia :)

Maria Manuela, é preferível...

Ni, infelizmente, os 'chulos' são os próprios pais que se sentam, refastelados, a beber umas cervejas, enquanto os miúdos andam a pedir.

Manuel, não parece: é, efectivamente.

Sadeek, tem dias em que não sei o que é pior!

Beijoooossss

Bombocaa disse...

o link do mau feitio mudou
http://naoedefeitoefeitio.blogspot.com/

 

(c)2009 Estrelices. Based in Wordpress by wpthemesfree Created by Templates for Blogger