8 de maio de 2011

Nêsperas, eu e o meu avô

Nesta altura do ano, recordo sempre um episódio que aconteceu comigo. E recordo especialmente por envolver também o meu avô. O meu avô morreu há 10 anos e sempre que me lembro desta história, lembro-me dele e não consigo evitar sorrir e chorar ao mesmo tempo.

Eu tinha quatro ou cinco anos e tinha acabado de comer uma nêspera. O meu avô passou por mim na altura em que eu me preparava para semear o caroço. Então ele disse-me que se regasse a minha sementeira, rapidamente teria uma árvore grande e cheia de nêsperas.

A minha mãe contou-me que passei o dia a regar o buraquinho onde tinha posto o caroço. E que o meu avô me motivava a continuar a regar.

No dia seguinte, exactamente no sítio onde eu tinha semeado aquele caroço de nêspera, estava uma pequena árvore, com pouco menos de um metro de altura. Conta-me a minha mãe que fiquei louca de alegria com a minha árvorezinha já crescida e que corri para contar ao meu avô que a nespereira tinha nascido durante a noite.

Obviamente não sabia que tinha sido o meu avô que, aproveitando a minha hora de ir para a cama, tinha plantado a pequena árvore para me deixar feliz e como recompensa pelo meu "trabalho árduo" de rega.

Hoje, a minha nespereira ainda existe. Está enorme, as nêsperas são doces e nunca me esquecerei desta história...

2 estrelinhas:

Rapariga do Batom Vermelho disse...

E eu também não consegui...:') Não há nada mais bonito do que o Amor.

Maluxa disse...

Linda história, linda recordação!!!! :)

 

(c)2009 Estrelices. Based in Wordpress by wpthemesfree Created by Templates for Blogger