13 de dezembro de 2006

Amor incondicional

"Talvez te curta... mas não vou fazer nada a esse respeito" - esta frase ficou-me na memória. Ouvi-a numa série qualquer que passou, esta noite, na SIC Mulher (publicidade à parte). Achei-a interessante. Segundo consegui perceber, o rapaz estava trancado algures com uma jovem e bonita colega e confessou que sentia uma certa atracção por ela, apesar de ter namorada. Era uma daquelas grandes confusões que não vale a pena tentar entender...

Fiquei a pensar na versatilidade dos sentimentos. Amamos o nosso companheiro, namorado, esposo, pais, irmãos, família no geral, amigos, o nosso animal de estimação (tenho 2 cães, uma gata, dois peixinhos e um piriquito)... são tantos amores para um só coração.

Há ainda aqueles (ou aquelas) que ainda conseguem arranjar amantes. Haja coração para amar!! Isto sem contar com as atracções físicas que se podem sentir e que, mesmo sem querer, mexem connosco. Ou pior... o fascínio que sentimos por fulano ou beltrano devido à sua inteligência ou personalidade e que muitas vezes pode ser confundido.

Pufff... que canseira! Como podemos amar tanto, de formas tão diferentes e tantas pessoas??

11 estrelinhas:

Alexandre disse...

Acredito plenamente que se possa amar várias pessoas ou coisas ao mesmo tempo, desde que as paixões sejam diferentes umas das outras, e que o apaixonado saiba gerir as situações...

Beijinhos!

Luís disse...

Pode isso o coração e muito mais. Depois há aqueles que se deixam confundir e os que não...

veritas disse...

Olá Cristina!

Vou discordar do Alexandre. Para mim o amor ainda continua a ser algo único, o mais sublime dos sentimentos que quando autêntico e pleno só acontece uma vez na vida. Acredito na entrega total, no dar e receber e partilha total, mas só uma vez na vida com plenitude, o resto dá-lhe o nome que quiseres, mas no meu dicionário...não é amor.
Gostei que tivesses falado no assunto.

Bjs e bom fim-de-semana.

** sean paul** disse...

Sinceramente não sei... Mas certamente ao longo da nossa vida temos vários amores, atracções, confundimos sentimentos (eu sou vítima "disso").. é tudo uma grande confusão. Mas qunado o coração ama que havemos fazer?

Bjx

:)

Danilo Mattos disse...

Como podemos amar tanta coisa? Sinceramente, não sei. Mas o pior é que com tanta coisa para amar, há gente que nada ame. Isto é trágico, assusta.

Bjs, boa semana.

Luís disse...

Todos somos dependentes do coração. É pena é que seja sempre do coração do próximo.

veritas disse...

Olá Cristina!

Sim...nostalgia, esse estado de espírito visita-me muitas vezes.

Bjs. Boa semana!

Menina - Mulher disse...

Feliz Natal ;) jinhos

Escuta o teu mundo... disse...

Bom Natal e um optimo e espectacular Ano Novo....
Bj
:)

Alexandre disse...

Cristina,

estou de volta! Aquilo do 1.º comentário foi um desabafo, tenho andado embrulhado em muitas emoções nos últimos tempos, coisas pessoais e trabalho à mistura. É claro que podemos ter várias paixões mas só uma se destaca...

Bom, queria desejar-te um óptimo Natal e muita coisa boa aí por Leiria - cidade onde eu irei mais dia menos dia...

Super beijinhos!!!

Alexandre disse...

Ai, ai, é que vou mesmo a Leiria no princípio de Janeiro. Mas, preciso do teu tlm senão sinto-me perdido: podes enviar para o meu mail: fundamentalidades@gmail.com

Beijokas

Eh, já é a 3.ª vez que deixo um comentário neste teu post, hehehe, super beijokas!!!

 

(c)2009 Estrelices. Based in Wordpress by wpthemesfree Created by Templates for Blogger